22dez

Comece o seu Negócio de Congelados Caseiro em 6 Passos

Por Wladimir Bittencourt

Inicio esta matéria perguntando: já pensou em empreender fazendo algo goste? Provavelmente sim, mas será que lhe faltou coragem para começar? Provavelmente sim também. O medo toma conta de muitas pessoas quando falamos em montar um negócio próprio, principalmente em um país que não nos dá apoio à criação de novos negócios. Então vamos pensar em negócios mais simples e utilizar dos raros benefícios concedidos pelo governo ao pequeno empreendedor individual. As orientações aqui serão passadas aos cozinheiros de plantão, aos dedicados a curtir um fogão por hobby ou até profissionalmente, mas que ainda não possuem a sua própria empresa.

1 – COMECE PEQUENO

Isso mesmo. Por que querer começar grande e encarar as inseguranças do microambiente? Pensar em abrir um bar ou restaurante é para pessoas que possuem uma quantia relevante de recursos para um investimento inicial, caso esse não seja o seu caso pode prosseguir com esta leitura. Se a sua cozinha ou o seu imóvel possui uma boa área que possibilite o início de uma produção é uma alternativa considerável para empreender no seu negócio de alimentação. Você pode constituir a sua empresa como Microempreendedor Individual (MEI), obtendo as vantagens em abrir a sua conta PJ para controle financeiro e emissão de notas fiscais. Indicamos a orientação de um contador para entender melhor a respeito do MEI e suas obrigações acessórias, regras municipais, estaduais e federais, além de licenças específicas e alvarás de funcionamento.

2 – SEGMENTE

A próxima etapa é definir o seu tipo de produto. Nesse momento a importância de segmentar envolve diretamente a definição do público que você pretende atingir e máquinas e equipamentos que deverá investir. Você precisa considerar se o seu produto envolverá a produção de alimentos como massas, doces, bolos, fitness ou não, dentre outros. Faça um importante levantamento, em seguida, com um nutricionista para determinar a temperatura de congelamento do seu alimento e os dados que deverão constar no rótulo do seu produto, como o vencimento e as informações nutricionais.

3 – MAQUINÁRIO

Com a definição do tipo de alimento a ser produzido pela sua empresa fica mais fácil determinar os equipamentos e instalações necessárias no seu espaço disponível. A arquitetura bem elaborada com os equipamentos alocados em pontos estratégicos facilitará a sua linha de produção, evitando atrasos e possibilitando a mensuração da capacidade produtiva diária do seu negócio. O rompimento da capacidade produtiva pela alta demanda implica na possibilidade de investimentos em expansão, caso você queira aumentar a sua produção e, consequentemente, seu ganho.

Gostando das dicas? Receba ainda mais para fidelizar seus clientes em menos de 4 semanas!


4 – FAÇA PROPAGANDA

Aí vem o ponto-chave e o apego a minha insistência em falar sobre segmentação do produto: se você não entende o tipo de produto que vende, como pode entender o público que o consome? Cada produto tem um perfil de consumidor e para atraí-los você deverá falar a sua linguagem entendendo seus medos, seus receios, seus problemas e suas crenças e cultura para ofertar a mercadoria certa como solução daquilo que eles precisam. Atualmente, mídias sociais como o Facebook e Instagram oferecem meios de calibrar os seus anúncios por região e até por gosto daqueles que você deseja atingir. Capriche na imagem dos seus pratos, aplique um belo filtro e crie uma mensagem de impacto para que o público certo procure por você, não fique atrás de curtidas e likes, isso não vai pagar as suas contas. Materiais impressos também são eficazes quando divulgados nas proximidades do seu negócio, contudo é mais difícil entender se você está atingindo o público certo, por isso é bom realizar uma apresentação prévia antes de entregar o seu folheto. Não tenha vergonha, você está lutando para fazer a sua empresa crescer.

5 – FECHE PARCERIAS

Sim! Saiba que sozinho é muito mais difícil de alcançar grandes resultados. Entenda os seus custos para determinar preços para o varejo e o atacado, permitindo assim realizar parcerias com lojas que revendem produtos parecidos com o seu (foque na qualidade e em embalagens apresentáveis, vai facilitar a aceitação do seu produto). Busque oferecer suas mercadorias para vendas consignadas, tente criar eventos no espaço do seu parceiro como degustações de novidades e momentos para amostras grátis, corroborando as vantagens que ele terá em oferecer o seu espaço para esses eventos. Curadores também são importantes para o seu negócio, buscar pessoas influentes pode facilitar a penetração dos seus produtos em locais de difícil acesso como, por exemplo, academias e clinicas de nutrição se a sua comida tiver como foco o emagrecimento.

6 – FORNECEDORES

Com a internet ficou muito mais fácil pesquisar fornecedores e fazer cotação de preços. Entretanto entenda a procedência dos seus produtos e de preferência visite suas fábricas ou seus estabelecimentos para observar a higiene e a seriedade dos seus serviços. Estamos firmemente nos deparando com escândalos envolvendo a área gastronômica, grandes fornecedores de alimentos e restaurantes representativos periodicamente aparecem sendo autuados pelo seu descaso e falta de cumprimento com as regras e legislações estabelecidas ao setor. Evidenciar ao comprador a origem dos seus produtos é um ponto extra quando tudo é bem escolhido.

Não preciso falar que a qualidade do seu atendimento ao público é outro ponto necessário para o sucesso do seu negócio, pois esse é um serviço obrigatório e básico para quem vai lidar com pessoas. Acredito que essas dicas podem despertar o seu interesse em abrir um negócio próprio e iniciar a sua pesquisa para o seu plano de ação. É o meio correto de levantar os investimentos primários e os custos rotineiros para começar e manter a sua empresa. Desejo sucesso na sua empreitada e entenda que a 3P Consult pode auxiliar o seu negócio em todos os processos aqui citados.

Deixe seu comentário